Seminário Internacional REA em Brasília na íntegra

O Seminário Internacional REA foi um sucesso de público e de interação online. Quem não pode acompanhar ou deseja rever alguma parte do evento, disponibilizamos uma playlist da gravação realizada pela equipe da Deputada Jandira Feghali.



No término do evento convidamos todos a contribuir para uma carta direcionada ao Ministro da Educação, e também, aos presidentes da Comissão de Cultura e de Educação.

E por último, estamos mapeando tudo o que saiu na mídia sobre o evento, se você quiser colaborar pode nos enviar o link que encontrar pelos comentários ou pelas nossas redes sociais. Até o momento temos:

EBC – http://www.ebc.com.br/…/pesquisadores-debatem-uso-de-recurs…
EBC –  http://www.ebc.com.br/…/rea-entenda-o-que-sao-os-recursos-educacionais-abertos
UOL – http://educacao.uol.com.br/…/pesquisadores-debatem-uso-de-r…
ANEC – http://anec.org.br/…/comissoes-da-camara-realizam-seminari…/
Correio do Brasil – http://correiodobrasil.com.br/profissionais-debatem-uso-de…/
PT na câmara – http://www.ptnacamara.org.br/…/24035-especialistas-e-govern…
Olhar Direto – http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp…
Camara Noticias – http://www2.camara.leg.br/…/494198-ESPECIALISTAS-DEFENDEM-U…

Seminário Internacional – Recursos Educacionais Abertos e chegada do Ônibus Hacker em Brasília

Dia 19/08, acontecerá na Câmara dos Deputados um evento imperdível para aqueles que acreditam na democratização da educação como elemento de transformação social.

Trata-se do Seminário Internacional sobre Recursos Educacionais Abertos – REA, sob a iniciativa conjunta da Comissão de Cultura e da Comissão de Educação, resultado das ações do projeto REA.br em prol da educação aberta na política pública brasileira.

Ações em favor da abertura dos recursos educacionais e sua disponibilização estão diretamente relacionados à ampliação e universalização do acesso ao conhecimento. Nesse sentido, o Seminário integrará acadêmicos nacionais/internacionais, parlamentares e sociedade civil, e abordará temas como Educação Aberta, o papel e a formação do educador-autor, iniciativas e práticas pedagógicas abertas e políticas públicas.

Outras informações e inscrição  aqui.

O LabHacker apoia essa iniciativa e, em consonância com o Seminário, abrirá suas portas nos dias 17, 18 e 19 de agosto para receber os integrantes do Ônibus Hacker: 28 hackers com formação nas mais diversas áreas, que chegarão a Brasília para sacudir o Congresso Nacional.
Serão dias intensos, de promoção de participação política, educação para cidadania, autonomia e uso de tecnologias livres, com diversas atividades, sempre no espaço do LabHacker, das 10h ás 18h, abertas à comunidade.  Confira a programação, ainda sujeita a alterações:

17/08 – Segunda-feira
Toda tecnologia é Política – oficinas de tecnologias livres e política hacker
10hs – Abertura do ciclo hacker e (re)definição coletiva da agenda
11hs – Oficina de Scraping em Python(Raspagem de Dados)
12hs – Oficina de Manipulação de Dados c/ CSVKit
13hs – Oficina de Visualização de Dados c/ D3
15hs – Oficina de (re)Escrita colaborativa de Leis c/ Github
16hs – Oficina de Visualização de Dados com Massinha
17hs – Debate sobre Política Hacker e/ou Como Hacker a Política

18/08 – Terça-feira
Jogatina Hacker – Playtest de jogos políticos com parlamentares, servidores e curiosos.
Homens Partidos – jogo que reproduz a disputa partidária de 89 até os dias atuais.
Jogo da Política (Executivo) – jogo para o estudante do ensino médio compreender e entender o processo orçamentário e criar sugestões de emendas orçamentarias.
Jogo da Política (Legislativo) – jogo para estudantes do ensino médio compreender o processo legislativo e criar suas próprias sugestões de lei de iniciativa popular.
Atos – jogo de simulação eleitoral e debate político.
Cara a Cara Político – jogo/instalação para trabalhar a nossa memória política.
Deliberatório – jogo de cartas sobre o processo deliberativo.

19/08 – Quarta-feira
Hackday do Seminário de Recursos Abertos Educacionais
Dia dedicado ao desenvolvimento e prototipação de projetos com base nos chamados recursos educacionais políticos, tendo como matéria-prima diversos dados já levantados sobre o mercado editorial brasileiro, Plano Nacional do livro didático, execução orçamentária da produção aquisição e distribuição de livros da educação básica, investimentos em objetos digitais de aprendizagem, entre outros.
Os dados foram disponibilizados no github do LabHacker e estão acessíveis a todos com disposição e habilidade para transformar informação em ação, seja por meio da criação aplicativos,  visualizações criativas de dados ou articulação de informações.

Faça a sua inscrição para o Seminário Internacional REA

O Seminário Internacional Recursos Educacionais Abertos que será realizado na Câmara dos Deputados no dia 19/08, por iniciativa conjunta das Comissões de Cultura e de Educação é resultado de um grande esforço do projeto REA.br em prol da causa da educação aberta na política pública brasileira.

O evento vai promover um debate sobre educação aberta, iniciativas e práticas pedagógicas abertas, formação do professor-autor e políticas públicas com convidados nacionais e internacionais.

Conheça a programação e inscreva-se gratuitamente aqui: bit.ly/REA-inscrição

Saiba mais sobre o evento (aqui) e os palestrantes (aqui).

9h – Mesa de abertura

  • Deputado Félix Mendonça – Presidente da Comissão de Cultura
  • Deputado Saraiva Felipe – Presidente da Comissão de Educação
  • Deputada Jandira Feghali – requerente da Comissão de Cultura
  • Deputado Aliel Machado – requerente da Comissão de Educação
  • Renato Janine Ribeiro – Ministro da Educação
  • Juca Ferreira – Ministro da Cultura
  • Gabriel Sampaio – Secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça

10h – REA: conceito, histórico e iniciativas internacionais

  • Coordenador de mesa: Deputado Paulo Teixeira (autor do PL 1513/2011)
  • Carolina Rossini – fundadora do Projeto REA.br e vice-presidente da Public Knowledge
  • Jan Gondol – pesquisador, professor e consultor em política pública de dados abertos do Ministério do Interior da República da Eslováquia

11h30 – Palestra Magna

  • Hal Plotkin – pesquisador e consultor sênior do Creative Commons USA, trabalhou nos últimos cinco anos (2009-2014) na implementação da política pública de REA no governo Obama, quando foi consultor sênior de política pública no Departamento de Educação dos Estados Unidos.

    12h30 – Pausa para almoço

    14h – Educação Aberta na Cultura Digital

  • Coordenador de mesa: representante Comissão de Cultura
  • Priscila Gonsales – Instituto Educadigital
  • Tel Amiel – Cátedra Unesco em Educação Aberta – Unicamp
  • Camila Garroux – Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br)

15h – Práticas de REA no Brasil e a Valorização do Professor

  • Coordenador de mesa: representante Comissão de Educação
  • Sebastian Gerlic – Projeto Índio Educa
  • Fernando Almeida – Secretaria Municipal de Educação de São Paulo
  • Nelson Pretto – Universidade Federal da Bahia

16h30 – Encerramento

  • Deputada Margarida Salomão – relatora do PL 1513/2011
  • Cristina Moreira – Universidade de Brasília
  • Débora Sebriam – Instituto Educadigital/Projeto REA.br

    Local: Auditório Nereu Ramos

    Data: 19/08/2015
    Horário: 9h às 17h30

Fórum ARede Educa vai debater caminhos para uma educação inovadora

Publicado na ARede.educa

Encontro, gratuito e com emissão de certificado, terá palestras de especialistas em Recursos Educacionais Abertos (REA) internacionais e nacionais. As inscrições já estão abertas.


O Fórum ARede Educa, que terá como tema “Recursos para um conhecimento livre e aberto”, vai inaugurar um canal de reflexão e debate com a sociedade sobre materiais digitais de aprendizagem que podem ser utilizados e adaptados por qualquer interessado – os chamados Recursos Educacionais Abertos (REA).

O Fórum começa com um encontro presencial, dia 20 de agosto, em São Paulo (SP). A participação é gratuita e dará direito a um certificado para educadores, estudantes de pedagogia e licenciatura, gestores de instituições ou redes de ensino e demais profissionais da área de educação.

Depois do evento presencial, o debate vai permanecer on-line, em um espaço de trocas exclusivo do portal ARede Educa.

O movimento que estimula e apoia os REA é um dos principais agentes para uma transformação inovadora em escolas e universidades de todo o mundo, no Brasil inclusive. REA são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa, fixados em qualquer suporte ou mídia, que estejam sob domínio público ou licenciados de maneira aberta, permitindo que sejam utilizados ou adaptados por terceiros.

No Fórum ARede Educa, serão compartilhadas práticas inspiradoras, nacionais e internacionais, que vão mapear os desafios e traçar as perspectivas para políticas públicas que consolidem os REA na educação brasileira.

Entre os destaques do Fórum, está confirmada a conferência de Hal Plotkin, consultor de políticas abertas do Creative Commons nos EUA, responsável pela implantação de políticas REA no Departamento de Educação do governo Barack Obama. Jan Gondol, responsável pelo Comsod Projetc, e representante do OpenGovPartnership, do qual o Brasil é signatário, tratá a experiência do Ministério do Interior da República Eslovaca.

Para enriquecer o debate com a plateia, estarão presentes ainda:

> Carolina Rossini, vice-presidente da Public Knowledge, conselheira consultiva do Instituto Educadigital;
> Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação;
> Débora Sebriam, coordenadora de comunicação do projeto REA.br no Instituto Educadigital;
> Nelson Pretto, professor titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA);
> Silvia Sá, gerente de educação do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente;
> Stavros Xanthopoylos, diretor-executivo do FGV Online e integrante do Open Education Consortium (OEC);
> Tel Amiel, coordenador da Cátedra da Unesco em Educação Aberta, colaborador do mapeamento internacional de REA.

Para Priscila Gonsales, diretora do Instituto Educadigital, falar de educação aberta é fundamental neste momento em que a sociedade está permeada pela cultura digital, quando todos podemos ser produtores de informação, conhecimento e cultura e não somente consumidores. “Recursos Educacionais Abertos permitem que as pessoas adaptem e reorganizem os mais diversos materiais para seu contexto regional, por exemplo. Valorizam a autoria de professores e alunos, proporcionando uma formação continuada e na prática. E, em termos de política pública, permitem que todo material educativo financiado com dinheiro público seja de fato público, disponível para os mais diversos usos”, explica.

O Fórum ARede Educa é uma realização da Bit Social, em parceria com o Instituto Educadigital. Tem o apoio cultural da Unibes Cultural. O evento terá 400 vagas, gratuitas, preenchidas por ordem de inscrição. O pré-cadastro pode ser feito aqui.

Confira o PROGRAMA e faça sua INSCRIÇÃO

Saiba quem são os convidados do Seminário REA na Câmara

Nosso esforço de advocacy pela causa da Educação Aberta e dos Recursos Educacionais Abertos, visando a ampliação e a universalização do acesso ao conhecimento, teve uma importante conquista! As comissões de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados vão organizar conjuntamente o primeiro evento sobre o tema no dia 19 de agosto.

Marcado para o dia 19 de agosto e aberto ao público, o evento vai contar com os seguintes convidados internacionais:

 Hal Plotkin – atualmente pesquisador e consultor senior do Creative Commons USA, trabalhou nos últimos cinco anos (2009-2014) na implementação da política pública de REA no governo Obama, quando foi consultor sênior de política pública no Departamento de Educação dos EUA.

Plotkin já esteve no Brasil em 2011 para acompanhar o Seminário REA na Assembleia Legislativa de SP: http://www.rea.net.br/site/rea-na-alesp-uma-rica-troca-de-ideias-e-experiencias/
Site pessoal: http://plotkin.com/

Veja a entrevista que fizemos com ele ano passado: http://www.rea.net.br/site/hal-plotkin/

Carolina Rossini – advogada especialista em propriedade intelectual e direito na internet, fundadora do projeto REA.br e conselheira do Instituto Educadigital, atualmente é vice-presidente da Public Knowledge, em Washington DC. Carolina tem se dedicado à causa REA no Brasil desde 2008, em parceria com diversas instituições do país como FGV-SP, Creative Commons Brasil, Casa da Cultura Digital e Instituto Educadigital, e organizações internacionais como Unesco, Wikimedia Foundation, OpenKnowledge Foundation, sempre no intuito de articular pessoas das mais diversas áreas em torno do tema. Hoje, a comunidade REA-Brasil já conta com 200 pessoas engajadas e mais de 12 mil simpatizantes no grupo do Facebook. Carolina foi co-organizadora do livro REA, primeira publicação brasileira sobre o tema.
Site pessoal: http://carolinarossini.net/
Entrevista para o GPOPAI-USP: http://www.rea.net.br/site/entrevista-carolina-rossini/
Entrevista para AsBoasNovas: http://asboasnovas.com/genteboa/a_luta_de_carolina_rossini_pela_abertura_da_educacao/
Vídeo sobre as licenças Creative Commons: https://www.youtube.com/watch?v=G7n1SxNJXBs

Jan Gondol –  pesquisador, professor e consultor em política pública de dados abertos, vem pela primeira vez ao Brasil. Trabalha no Ministério do Interior da República Eslovaca no projeto COMSODE, que cria ferramentas para publicação de dados abertos e recursos educacionais abertos. Membro do Open Government Partnership, do qual o Brasil também é signatário, Jan vai trazer um panorama da política de abertura de dados e recursos educacionais na Europa.
Mais informações: https://www.linkedin.com/in/jangondol

Dentre os convidados brasileiros, estão:

 Priscila Gonsales – fundadora e diretora-executiva do Instituto Educadigital, empreendedora social reconhecida pela Ashoka, com forte atuação no desenvolvimento de projetos educacionais na cultura digital e formação de educadores para criação de práticas abertas, colaborativas e inovadoras com tecnologia digital a partir da abordagem do design thinking. Representou a sociedade civil brasileira no Congresso Mundial de REA da Unesco em 2012

Tel Amiel – coordenador do grupo de pesquisa em Educação Aberta da Unicamp e coordenador da cátedra Unesco de Educação Aberta, atualmente vem se dedicando ao mapeamento global de REA junto a parceiros e instituições de vários países.

Nelson Pretto – professor da UFBA e ativista da cultura livre, doutor em Comunicação pela USP e pesquisador do CNPq, tem dedicado suas pesquisas e práticas em torno da formação do professor-hacker e atualmente é colunista da revista ARede.educa

Fernando Almeida – professor da PUC-SP, atualmente é diretor de orientação técnica da secretaria municipal de Educação de São Paulo, a SME-SP é a primeira iniciativa efetiva de política pública de REA com a promulgação do decreto 52.681/2011, que dispõe sobre o licenciamento obrigatório das obras intelectuais produzidas com objetivos educacionais, pedagógicos e afins, no âmbito da rede pública municipal de ensino

Alexandre Barbosa –  gerente do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC.br), coordenador da pesquisa TIC Educação, que traz anualmente um panorama do uso educativo da internet por professores e estudantes, com uma seção específica sobre recursos educacionais abertos

Sebastian Gerlic presidente OSC Thydewa, instituição que promove diálogos interculturais e potencializa as vozes indígenas; apoiando a produção de livros, cds, vídeos e páginas na internet, estimulando os REA.

Divulgue nas suas redes sociais e contatos!

Fiocruz discute o uso de Recursos Educacionais Abertos

A Fiocruz e o Sistema Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS) promoveram em abril passado o Seminário Recursos Educacionais: desafios e perspectivas para a educação aberta.

Desde 2014, a Fiocruz e a UNA-SUS desenvolvem uma parceria para a implantação, de forma independente, de um sistema de produção e publicação em acesso aberto de Recursos Educacionais Abertos (REA) voltados para a promoção da saúde.

Confira a programação e a íntegra do evento:


Material REA para os povos originários da América Latina

Por Jorgelina Talei • Profª da UNILA • Membro da Comunidade REA.br

A Universidade Federal de Integração Latino-Americana (UNILA) inicia outro projeto REA, através da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) com o projeto “Materiais didáticos para os povos originários da América Latina”. O objetivo principal do projeto é difundir as línguas originárias presente na comunidade acadêmica da UNILA. O projeto conta com a colaboração de várias pessoas ativistas pela causa REA de diferentes pontos da América Latina, como México, Equador e Bolívia.

O projeto prevê uma série de oficinas abertas a comunidade acadêmica. Os temas tratados em todas as oficinas farão relação aos REA, cultura livre e recursos digitais abertos. Todo o material produzido nas oficinas ficará disponível em um site criado para este fim. A primeira oficina acontece nesta segunda-feira (01/06).

Programa de Webinars para América Latina e Caribe 2015

Evento trata de temas como direito do autor e novas formas de contrato entre editora e autores

Durante o mês de maio/2015 a IFLA Continuing Professional Development and Workplace Learning e a IFLA New Professionals Special Interest Group  em parceria com a IFLA Latin American and the Caribbean Section e o Curso de Ciências da Informação e da Documentação e Biblioteconomia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, Campus Ribeirão Preto, apresentaram novos webinars em português e espanhol visando chegar ao público latino americano e caribenho.

Tema: Novos papéis para os bibliotecários no século XXI.
Palestrantes: Yamira Santiago  y  Santiago Villegas


Tema: Como podemos ser mais efetivos na defesa dos direitos autorais?
Palestrantes: Paz Peña


Tema: Novos modelos de contrato para aquisição de conteúdo eletrônico
Palestrantes: Katiussa Nunes Bueno e Anderson Santana

Wikipedia realiza concurso Wiki Loves Earth 2015

Imagens sobre o patrimônio natural terão licenças livres


Os brasileiros estão convidados a participarem do concurso Wiki Loves Earth 2015, um concurso fotográfico internacional que visa a incorporação de fotos dos principais patrimônios naturais do mundo no Wikimedia Commons, incentivando fotógrafos e entusiastas a contribuírem com imagens para a ilustração de artigos da Wikipédia e demais projetos mantidos pela Wikimedia Foundation.

O Brasil participou pela primeira vez em 2014, contou com a participação de 950 fotógrafos de todo o país e foram carregadas cerca de 7.000 fotos até o término do concurso.

Para participar, basta registrar fotos de algum patrimônio natural brasileiro e fazer upload para o Wikimedia Commons até dia 31/05. É preciso ter uma conta na Wikipédia para enviar este conteúdo.

As 10 melhores imagens irão concorrer na premiação internacional do projeto. Os três primeiros colocados na etapa nacional recebem premiação em dinheiro, serão publicados e referenciados na edição de Agosto de 2015 da revista Fotografe Melhor e terão suas fotografias expotas em centros culturais de algumas capitais brasileiras.

Recursos Educacionais Abertos será tema de Seminário Internacional em Brasília

Seminário reunirá decisores políticos, acadêmicos e sociedade civil para debater os Recursos Educacionais Abertos em Brasília. Articulado pelo projeto REA.br e políticos que defendem a abertura e democratização do conhecimento, o evento foi aprovado e será realizado em conjunto pela Comissão de Cultura e pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados.

Essa é uma grande vitória de toda a Comunidade REA Brasil, formada por um grupo de mais de 12000 profissionais de diversas áreas do conhecimento e que vem se firmando como uma das mais representativas na área de educação e cultura digital.

Além dos especialistas e proponentes de projetos de lei brasileiros, o evento contará com a presença de especialistas internacionais na implantação de políticas públicas de REA nos Estados Unidos e na Europa. A disponibilização de recursos educacionais abertos vem ao encontro de várias metas dos Planos Nacionais de Cultura e de Educação, no que tange a ampliação e universalização do acesso ao conhecimento. Para além da democratização do acesso, a discussão sobre REA também enfatizará temas como a Educação Aberta, o papel e a formação do educador, iniciativas e práticas pedagógicas com REA.

Nunca ouviu falar do tema? Aproveite para saber mais sobre REA, licenças livres e iniciativas nacionais, acessando a entrevista de Priscila Gonsales a FTD Digital.