A bandeira da liberdade na produção e no acesso a conteúdos educacionais se ergue em debates, projetos e parcerias.

 

A equipe gestora do Projeto REA Brasil, esteve presente no evento de entrega do Prêmio ARede 2012, onde a Bit Social lançou o 4º Anuário ARede de Inclusão Digital. A publicação retrata iniciativas de todo o país, realizadas pelo terceiro setor, setor privado e sociedade civil organizada.

Projeto REA Brasil

O REA Brasil é uma das iniciativas retratadas no Anuário ARede de Inclusão Digital 2012/2013.  O texto aborda as recentes conquistas do movimento REA no Brasil, como o Decreto do município de São Paulo, em que, a Secretaria Municipal de Educação instituiu licenciamento de toda a produção de material didático em Creative Commons, a chegada da proposta também para o Estado de São Paulo em 2011 e o PL Federal. Os eventos regionais que buscam empoderar professores, gestores públicos, advogados, analistas de sistema, etc, para levar REA para outros estados do Brasil também foi citado.

Veja abaixo a íntegra do Anuário e confira o texto sobre o REA Brasil nas páginas 58 e 59.

Premiados e homenagem

Prêmio ARede 2012 reconheceu este ano 14 iniciativas para inclusão sociodigital de jovens de baixa renda, idosos, grupos étnicos e pessoas com deficiência, distribuídos nas modalidades Terceiro Setor, Setor Público e Setor Privado.

O projeto Enter Jovem Plus recebeu o prêmio na modalidade Especial Educação. Do terceiro setor, foram premiados os projetos Um Olha para a Cidadania, Mawo – Casa de Cultura Ikpeng, Revista Espírito Livre, Conexão Amazônia – Barco Hospital Abaré e Rede de Jovens Comunicadores do Semiárido Mineiro.

Do setor público, os vencedores foram Uso do QR Code em Etiquetas Acessíveis para Deficientes Visuais, Universidade do Trabalho, Rede São Paulo Saudável e Projeto Particular.  Os premiados  do setor privado foram Voz Móvel: Mobilidade, Informação e Comunicação ao Alcance de Todos, Projeto Eu-Cidadão: Inclusão Digital e Cidadania e Rio sem Dengue.

Beatriz Tibiriçá, a Beá,  recebeu o título de Personalidade do Ano. Ativista da inclusão sociodigital, ela trabalhou no Governo Eletrônico de São Paulo, criado na época em que a ministra da Cultura era prefeita. Beá lembrou que ainda há muito a ser feito, como desenvolver os telecentros para serem mais do que pontos de acesso à internet, mas nós de redes microrregionais, regionais e, por fim, universais.

Para ter acesso a todos os projetos vencedores clique aqui.

Fonte: ARede

Comente

Seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

limparEnviar