Formado em audiovisual pela Escola de Comunicações e Artes da USP, Thiago Mahrenholz 
criou uma série de vídeos baseada no no livro Big Tech, de Evgeny Morozov, escritor bielorrusso e um dos mais influentes especialistas em tecnologia e em internet do mundo. Formada por 8 vídeos, licenciados em Creative Commons, a série apresenta conceitos básicos sobre a relação entre tecnologia e política, algoritmos, vigilância estatal e direito à privacidade, para introduzir mais pessoas à discussão digital.


Resumo do livro publicado em portugués pela UBU Editora

O livro problematiza a lógica do chamado “solucionismo” tecnológico, que enxerga a tecnologia como panaceia para problemas que instituições falharam em resolver. Trata-se de um alerta sobre o funcionamento da internet e de plataformas tecnológicas baseadas em dados pessoais (por exemplo, Airbnb, Uber, Facebook e WhatsApp). Diferente do que se costuma acreditar, podem servir de ferramenta contrária à democracia, dependendo da maneira como são usadas.

 

Lista de episódios

BIG TECH #1: Introdução

Podemos apostar nas gigantes empresas de tecnologia como solução para os problemas históricos da humanidade?

BIG TECH #2: Críticas ao Vale do Silício

Os produtos e serviços oferecidos pelas empresas do Vale do Silício nos trazem mais liberdade ou mais controle?

BIG TECH #3: Causas e consequências

Os aplicativos e a economia compartilhada podem resolver o problema da pobreza?

BIG TECH #4: Algoritmos na política

Quais as implicações do uso de algoritmos na política para a democracia?

BIG TECH #5: A vigilância

Como se proteger da vigilância do Estado? E quais os problemas em negociar nossos dados pessoais em troca de produtos gratuitos?

BIG TECH #6: Pós-capitalismo

Com as novas ferramentas tecnológicas, estamos em transição para uma sociedade mais justa?

BIG TECH #7: Tendências

Você conhece os conceitos de extrativismo de dados, mediação digital, consenso algorítmico, emancipação predatória e tecnoutopia?

BIG TECH #8: Saídas

Quais os desafios para construir uma internet livre e soberana?