O conhecimento ao alcance de um clique: reuse, revise, remix e redistribua

As parcerias começaram a ser cristalizadas em 2011 e após anos de discussões e planejamento nasce oficialmente a OER University (OERu) ou Universidade Recursos Educacionais Abertos.  Os cursos online gratuitos não são exatamente uma novidade, mas com certeza, a Universidade REA traz consigo o diferencial da abertura, o acesso e a possibilidade de intervenção diante do conhecimento. Estamos diante de um planejamento aberto e transparente, processos e práticas abertas, licenciamento aberto, política aberta e software livre.

Coordenada pela OER Foundation, uma organização independente e sem fins lucrativos, a rede OERu oferece cursos online e gratuitos para estudantes de todo o mundo. O modelo de negócio prevê mediante pagamento, a possibilidade de certificação válida para fins acadêmicos nas universidades parceiras, opção ainda pouco ofertada pela maioria dos MOOCs.

Um dos grandes objetivos do consórcio OERu é ampliar o acesso e reduzir o custo do ensino superior para os alunos em todos os lugares e, especialmente, para aqueles que estão excluídos do setor da educação formal.

Para Sir Jhon Daniel, Chair UNESCO-COL, “o lançamento da OERu é um marco importante na longa campanha para tornar o ensino superior de qualidade mais flexível e menos dispendioso”.  Ele acredita que a caminhada ainda será longa e que ao final esse novo modelo prevalecerá.

A Universidade Recursos Educacionais Abertos é um consórcio de mais de trinta universidades e faculdades dos cinco continentes comprometidas com a ampliação do acesso a oportunidades educativas. Nesse cenário não há nenhuma universidade da América do Sul.

O Brasil é citado constantemente no cenário internacional como um país líder nas questões envolvendo políticas públicas de REA, o movimento da sociedade civil tem de fato gerado frutos, e cada vez mais pessoas se apropriam de REA e enriquecem o debate, trazem novas experiências e desafios. As universidades aos poucos começam a discutir a questão, mas como bem lembrou a Profª. Andreia Inamorato em nosso grupo de discussões, o que ainda atrasa a participação do Brasil em uma iniciativa como a OERu são as questões do reconhecimento e da validação dos créditos obtidos por meio de um consórcio internacional de universidades. É certo que esse não é um problema exclusivo das universidades brasileiras, mas temos que começar a avançar nessas questões para poder avançar.

Saiba mais sobre os cursos oferecidos e as universidades parceiras em Open Educational Resources University.

Comente

Seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

limparEnviar